quinta-feira, 18 de junho de 2015

Verdade com desconto para estudante


Há dez dias o governo divulgou uma nota dando conta do pagamento do salário de dezembro/2012 de "quitando todo o débito", que foi herdado do governo de Newton.
Fiz minha queixa dando conta de que os servidores comissionados não haviam recebido.
Ontem foi divulgado que "o prefeito quitou os salários atrasados da gestão anterior de todos os servidores efetivos".
Três observações:
1. Pagar os salários é obrigação, como devia ter sido pago por Antonio Olímpio (96); Jabes Ribeiro (2004); e Newton Lima (2012). Quem está obrigado não precisa receber "muito obrigado", nem é matéria que mereça tanta divulgação.
2. A nota contém uma meia verdade por não assumir que ainda não pagou (nem vai pagar) o salário devido dos agentes políticos que também atuarão como servidores. Ficaria mais elegante e descente se o débito fosse reconhecido.
3. A nota elogia os servidores efetivos que não ingressaram com ações na justiça, dando a entender que os comissionados entraram. Esqueceram de dizer que "alguns buscaram esse direito", creio que por não acreditarem receber de forma espontânea. Não recebi, não vou receber. Não entrei na justiça, nem vou entrar, como também não reclamei judicialmente em 2004, quando sai com crédito.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Não é verdade


Há tempos eu esperava por essa notícia, com a certeza de que seria enganosa.
O realese distribuído hoje à imprensa dá conta de que foram pagos os salários devidos referente ao mês de dezembro de 2012.
Não serão pagos os salários dos comissionados, que também são considerados servidores.
Penso que o governo deve emitir uma nota corrigindo a falha.
Trabalhei desde o mês de setembro de 2012 sem a perspectiva de receber os salários. Recebemos os meses de setembro, outubro e novembro por conta de uma decisão da Justiça do Trabalho, atendendo uma demanda do Sinsepi.
Trabalhei até o último dia do governo e ainda fui ao Palácio no dia 1º de janeiro de 2013 para a transmissão do cargo.
Pode até ter sido engano de quem produziu a nota. Se este foi o caso, é imperativo que o governo assuma que não pagará aos comissionados.
Em 2004 Jabes, então prefeito, também deixou o governo sem pagar os salários. Valderico também não pagou aos comissionados. Triste coincidência.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

domingo, 26 de abril de 2015