quarta-feira, 4 de março de 2009

Trint'anos de Areias

Corria o mês de Fevereiro de 1979, 'trint'anos atrás' - como diz Waldyr Pires, quando uma grande enchente arrasou o povoado de Laranjeiras, que ficava localizado na margem do Rio Almada, bem próximo ao canal de acesso à Lagoa. Rapidamente foram mobilizados quatros barcos de alumínio para dar socorro aos pescadores desabrigados.
Comandados por Paulo Patury, com o barco pilotado por Galo (no Queen Elizabeth), eu (Nazal), Paulo Paraíso e Angelitinho, nos juntamos aos pescadores com suas canoas e fomos transportando tudo para o platô da Fazenda Areias, de propriedade e Osmar Sá.
Cada hora que passava o rio subia mais. As mulheres e crianças foram ajudando a montar os barracos, cobertos por palha e lona plástica fornecida pela Prefeitura. Na época, então prefeito Antônio Olímpio locou um helicóptero da Votec para transportar os alimentos que foram distribuídos com a população.
Passou o tempo e hoje o povoado de Areias é uma realidade, com graves problemas ambientais, necessidades básicas para a população, ainda que tenha ocorrido melhorias nas últimas três décadas.
Me recordo com carinho de amizades que fiz naqueles dias, a exemplo de Isidoro Pescador, Celso Lima, João de Duca e Alcides.
Fiquei surpreso por ter passado em branco uma data tão importante para um dos locais mais paradisíacos do nosso município, esquecido pelos moradores da Lagoa, pelo Comitê Gestor da APA da Lagoa e Rio Almada, pelo governo do qual sou secretário, porém, ainda há tempo de ser feita uma comemoração, não festiva, mas de uma maneira que possa ser reavivada a memória dos ribeirinhos.
Alguns dos mais velhos, como Isidoro e Celso sei que ainda estão vivos. Os adultos de hoje, crianças e jovens naquela época, com certeza ainda estão por lá.
Fica aqui a proposta de ser realizada uma comemoração histórica, para que essa data possa ser comemorada a cada ano e não seja mais esquecida.

Mapa com indicação de Laranjeiras e Areias
A cheia do Almada, em 1979, engolindo tudo no caminho.
O helicóptero se aproximando e o povo esperando.
Hélio Moura comandando a distribuição dos alimentos.
Wilson Rosa (Secretário de Educação e Cultura) e
Moura Costa (Secretário de Saúde) conversando com o povo.

4 comentários:

joao disse...

Amigo Nazau, parabens pela matéria.
muito bom tambem ver meu tio Wilson rosa.
abraço
joao fernando barros

Anônimo disse...



Linda sua homenagem ao povoado, às pessoas ainda entre nós e àquelas que já se foram, enfim... você sensibiliza e me surpreendeu com o seu tempo de vida pública, cuidando e olhando as coisas de Ilhéus como continua fazendo até hoje. Parabéns! Conte com o Ação Ilhéus para lembrarmos anualmente este dia. Com certeza o Sec. Antonio Olimpio vai gostar dessa idéia, pois sabemos também do seu amor e cuidados para e com Lagoa, que tanto encanta a todos.
Deus te abençoe!
Ficou lindo também lá no site do Ação Ilhéus, obrigada pela permissão dada.
Maria do Socorro Mendonça

Libério Menezes Filho disse...

Caro José Nazal:
Com referência a matéria sobre "TRINTANOS DE AREIAS" e, no parágrafo em que está a frase:
"o então prefeito Antônio Olímpio locou um helicóptero da Votec.....", quero lembrar que a verdade
dos fatos referentes a oportunidade: foi a PETROBRÁS quem cedeu, sem nenhum ônus, a aeronave
para as missões de caráter eminentimente humanitários.
Confirmando que nada foi cobrado pela cessão, ou seja: não houve locação e nem qualquer pagamento por
parte da Prefeitura Municipal de Ilhéus.
No caso a PETROBRAS, verdadeira locadora da aeronave à VOTEC, determinou que fossem realizados os vôos
necessários à ação de evacuação dos desabrigados na região da Lagoa Encantada e arredores.
Como tivemos participação direta no fato, e pelo bem da história, fazemos o pedido de retificação.
Cordiais saudações
Libério Menezes Filho

Anônimo disse...

É muito bom poder ver matérias sobre nossa história, principalmente quando lembramos de personalidades tão ilustres da nossa cidade, que infelismente não estão mais entre nós.
Fiquei muito feliz ao poder ver esta fotografia de Dr. Moura Costa, o maior médico que já existiu nesta cidade, que sempre lutou pelas causas da saúde púbica.